Entenda o funcionamento do Mercado Financeiro

Entenda como funciona o mercado financeiro

Entender o mercado financeiro parece difícil para quem não tem extrema intimidade, não é? Nosso objetivo aqui é dar uma mostra de como funciona esse bicho de sete cabeças, passando pelos princípios mais básicos da economia até os agentes do mercado hoje.

Começando pelo começo

Antes de qualquer coisa, vamos responder à pergunta básica: o que é economia e como ela funciona? Por definição, economia é “uma ciência que estuda a produção, distribuição e consumo de bens e serviços. É também a ciência que estuda a atividade econômica através da aplicação da teoria econômica”.

Ficou difícil? Falando de um modo mais simples, economia é a ciência que estuda o fluxo de produção e bens através do sistema monetário. E para o estudo dessa ciência existem diversas teorias. Podemos dizer que o pai da teoria econômica foi Adam Smith em 1776, com seu livro, As riquezas das Nações, estudado até os momentos atuais. A frase mais conhecida é:

“Ao buscar a satisfação do seu interesse particular, o indivíduo atende frequentemente ao interesse da sociedade de modo muito mais eficaz que se pretendesse realmente defendê-lo”.

Partindo desse princípio começamos a entender o que é a economia. Ela é, geralmente, dividida em dois grandes ramos: a microeconomia, que estuda os comportamentos individuais, e a macroeconomia, que estuda o resultado agregado dos vários comportamentos individuais.

Atualmente, a economia aplica o seu corpo de conhecimento para análise e gestão dos mais variados tipos de organizações humanas (entidades públicas, empresas privadas, cooperativas etc.) e domínios (internacional, finanças, desenvolvimento dos países, ambiente, mercado de trabalho, etc.).

Mas nós não iremos entrar nestes detalhes e partir direto para o nosso assunto principal, que é o mercado financeiro.

 

E o mercado financeiro?

Imagine um mercado onde são negociados todo e qualquer tipo de mercadoria. Fácil de pensar, né? Agora imagine um mercado onde o que é negociado é o dinheiro, ou, o fruto das negociações são o dinheiro.

O mercado financeiro é onde atuam compradores e vendedores de capital, em um fluxo onde os que têm dinheiro como excedente, compram produtos/serviços/ideias e o que mais for ofertado de quem tem déficit de dinheiro (pessoas que precisam de empréstimo ou financiamento).

Todo esse movimento de dinheiro é fiscalizado e acompanhado de perto por órgãos reguladores do governo, sendo composto por órgãos normativos, fiscalizadores e auxiliares financeiros.

Com isto em mente, podemos agora definir um organograma simples que nos permite visualizar o funcionamento do Sistema Financeiro Nacional e o papel das instituições mais importantes.

CMN – Conselho Monetário Nacional

O conselho é o órgão superior do sistema financeiro nacional e tem por finalidade formular a política da moeda e do crédito, objetivando a estabilidade da moeda e o desenvolvimento econômico do País. É ele quem coordena as políticas monetárias, creditícia, orçamentária, fiscal e da dívida pública interna e externa. Podemos defini-lo como um órgão deliberativo/normativo, ou seja, é ele o responsável pelo estabelecimento de diretrizes para o SFN e a economia do País.

BACEN – Banco Central do Brasil

Cumpre as atribuições da legislação e normas expedidas pelo Conselho Monetário Nacional. É responsável pela autorização de funcionamento das instituições financeiras. Fiscaliza e regulariza as atividades destas mesmas instituições por ele autorizadas a funcionar, e ainda possui o monopólio da emissão de moeda, controle dos capitais estrangeiros, e a execução da política monetária e cambial.

Banco Central do Brasil, órgão regulador da economia brasileira

Instituições intermediárias:

2.1 Bancos Comerciais – Uma instituição privada ou pública, cujo objetivo principal é proporcionar os recursos para financiar atividades de curto e médio prazo, seja no comércio, prestação de serviços e pessoas físicas. É também autorizada para a captação de depósitos à vista. Subordinados ao Bacen.

2.2 Bancos de Investimentos – Instituição financeira privada especializada em operações de participação societária de caráter temporário, financiamento da atividade produtiva para suprimento de capital fixo e de gira e da administração de recursos de terceiros. Não pode receber depósito à vista. Deve ser constituído sob a forma de S.A. e adotar em sua denominação social a expressão banco de investimento. Subordinados ao Bacen.

2.3 Bancos Múltiplos – Instituições privadas ou públicas que operam com os mesmos produtos dos bancos comerciais e dos bancos de investimentos. Subordinados ao Bacen.

3*CVM – Comissão de Valores Mobiliários – É uma autarquia vinculada ao Ministério da Fazenda que tem como objetivo disciplinar, fiscalizar, e desenvolver o mercado de valores mobiliários inclusive toda a indústria de fundos de investimento.

Instituições Auxiliares

3.1 Bolsas de Valores – Locais que oferecem condições e sistemas necessários para a realização de negociação de compra e venda de títulos valores mobiliários de forma transparente. BMF Bovespa – A BMFBOVESPA foi criada em 2008 com fusão da BM&F e a Bolsa de Valores de São Paulo. Juntas elas criaram a terceira maior bolsa do mundo em valor de mercado, a segunda das Américas, e a líder no continente latino-americano. Subordinados á CVM.

3.2 CTVM – Corretoras de Títulos e Valores Mobiliários: Instituição auxiliares do SFN que realizam a intermediação de compra e venda de ações em bolsa de valores. São credenciadas pelo BACEN, pela CVM e pelas próprias Bolsas. Subordinados à CVM.

3.3 DTVM – Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários: também são instituições auxiliares que participam da intermediação colocando a venda ao público ações e outros títulos. Seu diferencial é que estas participam também dos lançamentos públicos de ações (IPO). Subordinados à CVM.

Subdivisões do mercado financeiro brasileiro

O mercado financeiro brasileiro se subdivide nos mercados: bancário, de câmbio, de ações e de derivativos

Atualmente, o mercado financeiro brasileiro possui uma certa complexidade e diversas instituições envolvidas. Para compreender melhor o que é mercado financeiro brasileiro confira os detalhes de algumas das principais subdivisões presentes em sua estrutura.

Mercado bancário

O banco é a instituição mais popular do mercado financeiro brasileiro. Devido a sua enorme abrangência na vida dos brasileiros, o banco também figura entre as instituições mais importantes.

Na prática, os bancos segmentam sua atuação pela renda e patrimônio aplicado em produtos financeiros do banco. Essa segmentação normalmente se dá em: private bank; alta renda e varejo.

Na teoria, além do melhor atendimento, o cliente private terá acesso a produtos diferenciados, com menores taxas administrativas e maior rentabilidade.

Mercado de câmbio

Trabalha com a negociação de moedas estrangeiras e reúne as pessoas interessadas em movimentar tais moedas. No Brasil, os bancos e corretoras de câmbio atuam como intermediários.

Quem tem interesse no mercado financeiro de câmbio? De forma simplista, em um país existem aqueles que produzem mais do que a procura do seu país e aqueles que produzem menos que o seu país precisa. Para esses casos, respectivamente, haverá exportação e importação.

Tanto os que exportam quanto os que importam possuem interesse nas variações cambiais, podendo realizar operações no mercado financeiro para se protegerem, por exemplo.

Mercado de ações

O mercado de ações no Brasil gira em torno da BM&FBovespa (Bolsa de Valores de São Paulo). No Brasil temos apenas uma bolsa, a qual é responsável por organizar o mercado financeiro de ações para que sejam realizadas as negociações entre aqueles que querem comprar e aqueles que querem vender ações.

Mercado de derivativos

Como o nome induz, derivativos são contratos que derivam de outros ativos. São exemplos os mercados de futuros, de opções e de swaps, entre outros. No mercado de futuros, por exemplo, os agentes econômicos podem proteger seus produtos contra as oscilações de preços. O mercado de opções, por sua vez, permite que investidores protejam seu capital investido em ações.

Por que essa mecânica existe?

Por ser um país capitalista, o Brasil visa o lucro em todos os setores. Se o presidente decide intervir na economia, gera um efeito dominó que vai desde o produtor da matéria prima até o consumidor final. Gerando uma mudança de cenário em larga escala.

Todas essas mudanças e eventuais intervenções governamentais na economia são feitas com o objetivo de fazer circular o capital financeiro.

Já conhece o PayPlug?

Com o PayPlug você tem a facilidade do crédito parcelado em 3x sem juros para a sua empresa. Com ele, você pode pagar fornecedores, usar o contrato futuro e dar um respiro no seu fluxo de caixa.

Quer saber mais? Conheça os nossos produtos

ou veja o que podemos fazer por você aqui

3 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *